Cidadão do Povo
Mauricio Dias

Um empresário de 32 anos morreu na noite desta quarta-feira (21) depois de ser baleado dentro de um carro em Feira de Santana, a 109 km de Salvador. Gil Porto Neto estava um BMW branco quando foi abordado por dois homens em uma moto.

Segundo a 64ª Companhia Independente de Polícia Militar, Gil ainda chegou a ser socorrido para o Hospital São Mateus por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas chegou à unidade já sem vida. Ele foi baleado pelo menos três vezes.



Os homens que o abordaram estavam em uma moto vermelha e fugiram logo depois, aparentemente sem levar nada. Baleado, Gil perdeu o controle do carro e chegou a bater em um muro de uma casa depois de subir em uma calçada.O crime foi na rua Eldevira de Oliveira, no Largo do São Francisco, pouco antes das 19h. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios de Feira de Santana. Gil era dono da GP Imobiliárias. Informações e Fotografia: Acorda Cidade

   Youssef está preso na carceragem da PF no Paraná

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal do Paraná decretou nesta quarta-feira (21) uma nova ordem de prisão preventiva contra o doleiro Alberto Youssef, um dos 11 presos da operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). Com esse mandado, o doleiro não poderá deixar a cadeia mesmo que obtenha uma ordem de soltura do Supremo Tribunal Federal (STF) no processo da Lava Jato.

Youssef é suspeito de comandar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que movimentou cerca de R$ 10 bilhões. Por essas acusações, ele está detido desde março na carceragem da PF em Curitiba (PR).

Nesta semana, o ministro Teori Zavascki, do STF, chegou a determinar que Youssef e os demais presos da Lava Jato fossem colocados em liberdade, entretanto, o magistrado recuou da decisão após a Justiça Federal advertir para o risco de os supeitos fugirem para o exterior.

No entanto, o segundo mandado de prisão contra o doleiro não tem relação com a Lava Jato. A ordem judicial se refere ao caso Banestado, no qual Youssef responde por crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira, evasão de divisas e corrupção ativa.

Alvo de uma CPI no Congresso Nacional, o caso Banestado foi um esquema de evasão de divisas que teria movimentado cerca de US$ 30 bilhões no final da década de 1990. O escândalo ganhou esse nome porque o principal destino do dinheiro desviado era a agência do Banco do Estado do Paraná (Banestado) em Nova York (EUA).

À época, as investigações da Polícia Federal apontaram que um grupo de doleiros usava contas do banco paranaense nos Estados Unidos para remeter dinheiro para outras instituições bancárias norte-americanas. Após ser realocado nas novas contas, o dinheiro era enviado para paraísos fiscais.

Um dos líderes da quadrilha desbaratada pela Lava Jato, Alberto Youssef também foi investigado por seu suposto envolvimento no caso Banestado. Segundo o Ministério Público, ele teria aberto 43 contas em nome de laranjas em agências bancárias de Londrina (PR). Os procuradores da República afirmam que, entre janeiro de 1998 e agosto de 1999, o doleiro movimentou em torno de R$ 346 milhões nessas contas. globo.com - Foto: Luiz Gustavo Flores/arquivo pessoal

Um grupo de criminosos tentou arrombar um caixa eletrônico dentro de um posto de atendimento na cidade de Macururé, a cerca de 500 quilômetros de Salvador. Durante a madrugada desta quarta-feira (21), cerca de cinco homens quebraram vidros do estabelecimento e em seguida , durante a fuga, metralharam viaturas e o prédio do 20º Batalhão de Polícia Militar.

Segundo informações da Polícia Civil, o grupo chegou ao banco logo após a meia-noite. Como eles não conseguiram arrombar o caixa eletrônico, atiraram contra o aparelho. Mesmo assim, nenhuma quantia em dinheiro foi roubada.

Durante a fuga, os criminosos ainda metralham uma viatura da Polícia Militar que estava estacionada e a fachada do Batalhão, que fica próximo ao banco. Dois policiais estavam dentro do prédio no momento do ataque. Ninguém ficou ferido durante a ação.

Ainda de acordo com a polícia, os assaltantes ainda tentaram roubar uma caminhonete que estava estacionada em frente a uma casa. Como não conseguiram, eles atiraram no veículo. Os criminosos fugiram em seguida. De acordo com o Sindicato dos Bancários, já foram realizados 89 ataques contra agências e equipamentos bancários em 2014, 16 deles em Salvador e 73 no interior da Bahia. Correio - Foto: Macururé Notícias

Em uma ação rápida e precisa Policiais Militares lotados na 24ª CIPM conseguiram recuperar um veículo FIAT Ducato que foi tomado de assalto por volta das 10h30 desta terça, 20, no bairro da Vila Feliz em Jacobina. Na ação, os bandidos levaram os ocupantes como refém. O carro pertence a empresa Intertransmar do Nordeste, de Petrolina / PE, e fazia entrega de produtos da AVON quando foi abordado por quatro elementos armados que deram voz de assalto e obrigaram o motorista a seguir por uma estrada vicinal que leva ao povoado de Olhos D'´agua.

Após ser acionada por populares, duas viaturas seguiram no encalço dos assaltantes, localizando o veículo roubado que se encontava atolado na passagem do rio da Mariquinha, próximo do povoado de Olhos D'água, onde foi abandonado com seus ocupantes.  As vítimas relataram que os elementos levaram algumas caixas de produtos, R$ 250,00 em espécie e um celular Galaxy. Em ato contínuo, os policiais conseguiram recuperar os produtos roubados poucos quilômetros depois do local onde o veículo foi abandonado. Ao chegar no povoado de Genipapo de Miguel Calmon , uma das viaturas retornou à Jacobina e apresentou as vítima para a delegacia onde foi registrado o fato. Outra viatura, com informações de populares, seguiu pela estrada vicinal que leva a comunidade de Jaboticaba, onde conseguiu lograr êxito na prisão do primeiro integrante da quadrilha,identificado como Márcio Conrado da Silva, de 18 anos. Com ele foi encontrado  um revólver calibre 38 com seis cartuchos intactos.

Continuiando as diligências e seguindo informações prestadas pelo primeiro acusado, a guarnição conseguiu prender outros três elementos que estavam homiziados na sede de uma propriedade rural localizada às margens da estrada vicinal que liga as comunidades de Jaboticaba a Itapicurú. Os presos foram identificados como Humberto Lima dos Santos 19, Gustavo Gonçalves Novais, Guga 28 anos, além do menor  de iniciais G. C. V, de  17 anos, que foi apreendido. No local também foram apreendidos 16 trouxas de maconha, 8 papelotes de crack, uma moto Yamaha 125, modelo Factor vermelha de placa JFG-1279, R$ 119,00, 2 celulares e um revólver calibre 38 municiado.  Os integrantes da quadrilha e o material apreendido foram apresentados na delegacia de Jacobina ao delegado plantonista, Dr. Cleber Azevedo para as devidas providências. Emerson Rocha / Bahia Acontece - Foto: Reprodução/Diário da Chapada

A família de Luis Bobina, atleta baiano que morreu em Lima, no Peru, está com dificuldades em trazer o corpo do rapaz para o Brasil. Ele morava em Vitória da Conquista e foi ao país resolver pendências em um acordo com um time de basquete. Luis sofreu um mau súbito e faleceu fora do país. "Foi uma agonia, um desespero total", conta o pai do rapaz sobre o momento em que família soube da morte do jogador.
 
A Embaixada do Brasil no Peru disse à família que o traslado do corpo custaria cerca de R$ 20 mil - valor que não pode ser custeado pelo órgão, segundo o Itamaraty. A família tenta levantar a quantia, mas encontra dificuldades por não dispor de muitos recursos financeiros. Bobina chegou a jogar pelo Esporte Clube Bahia. Informações do Correio

Na noite da última terça-feira, 20, seis presos conseguiram fugir da delegacia de Ibirapitanga, no sul da Bahia. Depois de serrarem as grades de uma das celas, os criminosos renderam o carcereiro, e colocaram uma mordaça na boca da vítima.   
 
O agente foi solto pelos outros presos que decidiram não deixar a unidade policial.  Segundo a polícia, os seis detentos fugiram em um Uno de cor vermelha em direção ao município de Ubatã.  Os fugitivos são considerados de alta periculosidade. A polícia realiza buscas mas até o momento nenhum preso foi recapturado. Bocão

Os policiais civis da Bahia paralisam nesta quarta-feira (21) as atividades por 24 horas. A categoria reivindica a elaboração de um novo modelo de gestão da corporação. De acordo com o presidente do sindicato dos policiais civis, Marcos de Oliveira, 30% do efetivo vai atender a situações de prisões em flagrante, levantamentos cadavéricos, crimes contra a criança e atentados à vida. A polícia orienta que a população baiana, se necessário, registre queixas na Delegacia Digital por meio do site www.delegaciadigital.ssp.ba.gov.br.

A mobilização da categoria é nacional e ocorre também nos estados de Alagoas, Amazonas, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins. O movimento de paralisação, por 24 horas, é organizado pela Cobrapol e pela Fenapef (Federação Nacional de Policiais Federais) e pela Fenaprf (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais).

"Você sabe qual será o legado da Copa para a segurança pública? Nenhum. Os índices de criminalidade vão reduzir em todo o país durante o evento, mas depois tudo voltará. Não há projeto voltado para o cidadão. Aquele que paga imposto e vive aqui vai continuar sem segurança", disse Jânio Gandra, presidente da Cobrapol.

Em Brasília, os policiais pretendem caminhar até o Ministério da Justiça ou a Praça dos Três Poderes (ainda será definido). No Rio, os policiais civis farão uma caminhada da Cidade da Polícia até a Tijuca, zona norte da cidade, onde no fim do dia haverá uma assembleia da categoria. iBahia

Um menino de 5 anos entregou uma porção de maconha de presente para a professora em uma escola municipal na Vila Alves Pereira, em Campo Grande. Segundo a titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Regina Márcia Rodrigues, o Conselho Tutelar foi acionado pela direção do colégio, e o caso, que ocorreu na segunda-feira (19), está sendo investigado pela Polícia Civil.

O conselheiro tutelar Benedito Carlos disse que a criança chegou à escola com a droga e quis presentear a professora, alegando que uma tia usava todos os dias e gostava. A direção da instituição acionou a Guarda Municipal, que confirmou que a porção se tratava de maconha. Após o Conselho Tutelar ter sido acionado, o menino foi levado a um abrigo, onde foi ouvido por psicólogos e assistentes sociais. Segundo Regina Márcia, o menino confirmou que pegou o entorpecente em casa.

Equipes de conselheiros tutelares e policiais civis foram até a residência do garoto e, de acordo com Carlos, a situação no local era de abandono e sujeira. Na casa, estavam um menino de 2 anos e uma adolescente de 14, irmãos do menino, e outra adolescente de 17 anos com o filho, um bebê. Todos estavam sem documentos e também foram encaminhados ao abrigo. A mãe das crianças não foi localizada, e o pai está preso por tráfico de drogas. A maconha que estava com o garoto foi apreendida e encaminhada à Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar).

As crianças e adolescentes vão passar por acompanhamento psicossocial e devem permanecer no abrigo como medida de proteção. A suspeita é que uma das adolescentes seja usuária de drogas. Segundo a delegada, a polícia investiga se as crianças também faziam uso da substância. O caso está sendo investigado a partir da denúncia da escola, mas nenhum boletim de ocorrência foi registrado. De acordo com Regina, testemunhas ainda serão ouvidas. G1/MS

Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na residência do governador

O ex-secretário de estado Éder Moraes foi preso nesta terça-feira (20) pela Polícia Federal, durante a quinta fase da Operação Ararath. Na ação, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas casas do governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), do deputado estadual José Riva (PSD), do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Sérgio Ricardo Almeida, e de outros políticos. Há a informação de que um mandado de prisão foi expedido contra José Riva, porém, a detenção ainda não foi confirmada. A operação, deflagrada inicialmente no ano passado, apura suposto esquema de crimes financeiros e lavagem de dinheiro por meio de 'factorings' de fachada.

O advogado de Éder Moraes, Fábio Lessa, afirmou que o cliente dele foi conduzido para Brasília, onde deverá prestar depoimento. "Ainda não sabemos a medida a ser tomada. Vamos acompanhar o depoimento dele", disse ao G1. Éder Moraes já atuou como secretário chefe da Casa Civil, secretário de Fazenda, presidente do MT Fomento e da Agecopa, antiga Agência de Execução de Projetos da Copa.

A ex-secretária de estado Janete Riva, esposa de José Geraldo Riva, disse ao G1 que os policiais estão dentro da residência do casal, no Bairro Santa Rosa, buscando documentos. Ela confirmou também que há um mandado de prisão contra o parlamentar e que ele deve ser preso. José Riva acompanha o cumprimento dos mandados de busca na casa dele. A defesa de Riva disse que ainda estava tomando conhecimento da operação para depois se pronunciar sobre o assunto.

Polícia Federal também apreendeu documentos na Prefeitura de Cuiabá

A Secretaria de Comunicação do Estado confirmou que há um mandado de busca e apreensão na residência do governador. Porém, informou por telefone ao G1, às 8h10 e às 10h50 [horário de MT], que uma nota de esclarecimento deverá ser divulgada sobre o assunto. A Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá também informou que mandados de busca estão sendo cumpridos no gabinete do prefeito Mauro Mendes, no Palácio Alencastro, sede do executivo municipal. Policiais federais também estiveram na casa do prefeito, em Cuiabá, apreendendo documentos.

A sede da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT) também foi alvo da operação. Agentes da Polícia Federal foram até o local, no Centro Político Administrativo, e apreenderam documentos. Detalhes da operação não foram divulgados pois, segundo a PF, há uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que impede a divulgação de dados referentes ao cumprimento dos mandados. globo.com - Fotos: Arquivo e Pollyana Araújo/G1

Sem saber mais o que fazer com o filho descontrolado pelo vício em crack e ameaçado por traficantes, o pai do jovem, que é policial, algemou o próprio filho em uma árvore no quintal de casa. O caso ocorreu na Rua Ari Barroso, no bairro Monte Castelo, Zona Sul de Teresina (PI).

Com as mãos algemadas, ele gritava e falava descontroladamente, dizendo que queria se libertar. O pai acompanhava de perto a crise. Segundo a família, os transtornos são provocados pelo uso de crack. “Sofro junto com ele, mas sou obrigado a fazer isso para não ver meu filho morto. Se eu soltar ele vai direto comprar droga. Não sei mais o que fazer para acabar com esse sofrimento”, disse o pai sem querer se identificar.

Ainda de acordo com o pai, o filho já furtou vários objetos de dentro da casa para manter o vício. “Devido ao vício, ele fez dívidas com traficantes, que o ameaçaram de morte, caso ele não pague o que deve. Ele roubou vários objetos de dentro da própria casa para comprar crack. Já fiz o pedido de internação para o estado, mas eu não sei se nós esperaremos até lá", falou.

O pai do jovem, que também é policial afirmou saber que pode sofre punições. “Sei que posso ser punido, mas a punição maior é a morte do meu filho e por isso tento mantê-lo dentro de casa e a única forma que encontrei foi essa. Quero que algum órgão responsável faça algo pela nossa família”, finalizou o pai.

A reportagem tentou contato com a Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas, para ter uma posição sobre a disponibilidade de vagas em entidades que tratam dependentes químicos, mas ninguém foi encontrado para comentar o caso.

Pai está cometendo crime, diz OAB

O presidente da Comissão de Defesa de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, secção Piauí, Campelo Filho, diz entender a situação do pai e suas intenções, mas afirma que ele está cometendo um crime ao prender o filho.

“É uma situação muito triste o pai ter que prender o filho a uma árvore para que ele não consuma drogas. Infelizmente, mesmo nessa situação ao adotar essa medida ele está cometendo um crime que é o de cárcere privado. Inclusive a pena é de um a três anos de prisão, como a vitima é descente, sendo o filho, passa de dois a cinco anos”, afirmou.

Informado sobre a dificuldade de conseguir uma vaga em uma entidade que trate de dependentes químicos, o advogado aconselhou o pai a documentar seu pedido. “O pai deve procurar as autoridades públicas e tentar internar o filho. Aconselho que ele formule o pedido por escrito para que ele tenha como provar essas solicitações e depois possa cobrar a solução do poder público”, finalizou. G1 - Foto: Douglas Ferreira/Arquivo pessoal

Um veículo utilitário da empresa Postdata Serviço e Gestão de Saúde Ltda., de propriedade do ex-deputado federal e ex-presidente do Esporte Clube Bahia, Marcelo Guimarães Filho, foi apreendido na noite do último domingo, 18, por volta das 21h, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). O automóvel, modelo Hilux SW4, de placa JMR-9775, foi localizado no Km 199 da BR 242, nas imediações da cidade de Itaberaba, na Chapada Diamantina, com o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) irregular.

Marcelo Guimarães Filho estava como carona no carro guiado pelo motorista Maximino da Silva Santos, que acabou preso em flagrante e levado à 12ª Coorpin da cidade, onde continua detido. O condutor foi autuado por indício de uso de documento falso. Marcelo Filho foi ouvido e liberado por não estar ao volante no momento da apreensão. Em depoimento, Marcelo Guimarães disse que já teria contratado um despachante em Feira de Santana para regularizar a documentação do veículo, que possui uma restrição judicial. Bahia Notícias - Foto: Reprodução/globo.com

Os sindicatos dos policiais civis dos estados de Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rondônia e Santa Catarina decidiram nesta segunda-feira, 19, aderir a uma paralisação de 24 horas na próxima quarta-feira, 21. O ato é organizado pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) e visa um nivelamento do salário dos policiais em todo o país e de melhores condições de segurança e infraestrutura para a categoria.

A Cobrapol diz, em nota, que os policiais civis de 10 estados (Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins) confirmaram a paralisação. Entretanto, os sindicatos dos outros estados citados disseram que ainda realizarão assembleias para saber se categoria adere ou não ao ato convocado pela Cobrapol. O estado de Minas Gerais, que não está citado na nota, também terá paralisação.

Alagoas

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas, pode haver uma mobilização pela causa nacional, mas não há nada confirmado até o momento e não sabem como ela será -  se vão interromper serviços ou se todo efetivo vai aderir ao ato. Ainda farão assembleia.

Bahia

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia, não haverá paralisação e na assembleia marcada para quinta-feira, 23, o assunto da greve não está em em pauta.

Espírito Santo

Papiloscopistas e investigadores da Polícia Civil do Espírito Santo devem aderir ao movimento nacional. Nesta terça-feira (20), membros do Sindicato dos Investigadores de Polícia Civil irão se reunir em assembleia para traçarem o que será feito, mas os delegados não irão participar.

Paraíba

A Associação dos Policiais Civis da Paraíba disse que apoia o movimento, mas que não vai fazer paralisação.

Tocantins

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins, não há nenhuma previsão de paralisação local.

Mesmo estando sob investigação da Polícia Federal e do Ministério Público em todo o Brasil, por suspeita de fraude em seus negócios, a TelexFREE continua atuando no Brasil, com ampla publicidade feita por meio de out-doors, cartazes, patrocínio de festas e eventos. A Secretaria de Assuntos Econômicos do Ministério da Fazenda desconfia que a companhia esteja praticando um esquema de “pirâmide financeira”, o que caracteriza crime contra a economia popular.

Há indícios também de que a empresa que é responsável pelo negócio, Ympactus Comercial Ltda.ME, com sede no Espírito Santo, esteja estimulando a economia informal. De acordo com o TJ do Acre, haveria "urgência em paralisar-se crescimento da rede, como forma de evitar-se seu esgotamento consequentes prejuízos que poderá causar a um sem número pessoas".

Atuando no Brasil desde março de 2012, a TelexFREE vende planos de minutos de telefonia “voz sobre protocolo de internet” (VoIP, na sigla em inglês), que permitem ligações ilimitadas para 41 países por US$ 49 mensais. A empresa também oferece promessas de ganho para quem atuar como promotor de seus serviços, recrutando pessoas para postar diariamente anúncios em sites de classificados e redes sociais, mediante pagamento de comissão sobre as vendas.

A oferta de ganhos altos e rápidos, proporcionados principalmente pelo recrutamento de novos participantes na rede, tem características semelhantes ao esquema de “pirâmide financeira”, no entendimento do Ministério da Fazenda. “Tudo indica que se trata de uma pirâmide e quanto maior ela for, mais rápido ela quebra. Qualquer negócio que oferece tanta facilidade e ganho fácil é para se estranhar. Não há fórmula mágica para ganhar dinheiro”, alertam as autoridades. * Com informações de agências: Uol/Rede Notícias - Charge: Yahoo

Um vendedor de uma loja de peças foi assassinado por volta das 14h desta segunda-feira (19) na Rua Desembargador Filinto Bastos, conhecida como Rua de Aurora, centro de Feira de Santana, enquanto estava trabalhando.
 
Felipe de Jesus Santos, 21 anos, estava no interior da loja, quando um homem desconhecido entrou e deflagrou os tiros, que atingiu o ombro da vítima. Segundo informações, o alvo dos tiros seria outra pessoa que também estava no estabelecimento.


 
Ao tentar fugir, o homem que deflagrou os tiros tomou de assalto uma moto CG, placa JQB-1383, mas não conseguiu dá a partida e fugiu a pé, sentido Avenida de Canal. Felipe de Jesus Santos morava na Rua Miguel Lopes, bairro Pampalona. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local, mas a vítima já estava sem vida. Acorda Cidade 

O ex-prefeito de Itabebi, Esmeraldo Costa Santos e mais dois envolvidos - os policiais aposentados, Aristides Neri e Dari Gomes Marinho - vão a Júri Popular, no próximo dia 19, no Salão do Júri do Fórum Mário Albiani, na Comarca de Eunápolis, extremo sul da Bahia. Segundo o site Itapebi Acontece, o ex-prefeito está sendo acusado pela morte de Gilberto Rodrigues Esteves, conhecido como Giba, na época, presidente da Câmara de Vereadores de Itapebi. O crime aconteceu na noite de 11 de junho de 1995, no Clube Social, localizado, na Cidade Baixa, onde acontecia uma festa.  

Giba foi alvejado na cabeça e morreu na hora. A morte do vereador teve repercussão em toda Bahia, e estava no rol dos insolúveis. Familiares da vítima, antigos moradores de Itapebi, já tinham perdido as esperanças sobre o caso. O processo se arrasta há 20 anos, e somente agora, os envolvidos estarão sentados no banco dos réus. O Júri terá como promotores Dr. João Alves Neto e Dinalmari Mendonça Messias, este, que acompanha o caso desde o início. Fonte: Itapebiacontece / A Gazeta Bahia

Os prefeitos dos municípios baianos de Fátima - José Idelfonso Borges - e Sítio do Quinto - Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa -, ambos do PDT,  foram liberados neste domingo, 18. Eles estavam  detidos na cadeia pública, situada no Complexo Penitenciário de Mata Escura. Além dos prefeitos, mais outros quatro presos na Operação 13 de Maio, realizada pela Polícia Federal (PF), foram liberados. No sábado, 17, 18 pessoas (12 que estavam em Feira de Santana e seis na capital) detidas na mesma operação foram soltas.

As prisões foram resultado da operação  que investiga o desvio de verbas em prefeituras baianas. O montante desviado, segundo a PF,  supera o valor de R$ 70 milhões. Os detidos cumpriram o prazo de prisão temporária. Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), entre os investigados pela operação da PF não há mais ninguém preso.Foram expedidos 29 mandados de prisão, mas três não foram cumpridos. Dos 26 presos, um foi levado para Sergipe e outro para o Distrito Federal. Os demais ficaram na Bahia.



Fachada

Ao todo, 153 servidores são suspeitos de participação em transações ilegais. Os envolvidos vão responder por crimes de responsabilidade (políticos), malversação de recursos públicos, lavagem de dinheiro, peculato, organização criminosa, uso de documentos falsos e crimes da lei de licitações.

Por meio de empresas de fachada e utilização de laranjas, o grupo, de acordo com a denúncia policial, desviava verbas, principalmente, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) e as depositava na conta dos envolvidos.

De acordo com a PF, também havia desvio de outros recursos de origem municipal, estadual e federal. Uma das empresas fantasmas, divulgadas pela PF, é a AML Empreendimentos, que conseguiu um contrato com a prefeitura de São Francisco do Conde para a construção de duas escolas no valor de R$ 13 milhões.

A empresa venceu uma licitação em 2009 para a construção de duas unidades nos bairros Caípe e Muribeca, com recursos do tesouro municipal, mas até 2012 a empresa não havia concluído a obra. A prefeitura de São Francisco do Conde rescindiu os contratos devido aos constantes atrasos. A Tarde - Foto: Paula Pitta

Após 25 horas de rebelião no Complexo Penitenciário Advogado Jacinto Filho (Compajaf), os agentes penitenciários e os 120 familiares que estavam como reféns foram liberados. Os agentes eram todos funcionários da empresa Reviver que administra o sistema através de Parceria Público-Privada com o governo.

- Prefiro não informar quantos foram transferidos nem para onde eles vão por questões de segurança. Todos os agentes reféns foram soltos, dois deles com ferimentos leves. Os familiares também foram liberados e nós estamos fazendo uma triagem, conferindo a documentação deles para que eles possam ir para as suas casas - afirmou o comandante-geral da Polícia Militar de Sergipe, coronel Maurício Iunes, segundo reportagem do G1.



O motim começou no sábado e uma das exigências dos rebelados era a transferência para presídios com melhores condições de tratamento e mais flexibilidade nos horários de visita. Na tarde de sábado, o coronel afirmou preocupação com a integridade física dos agentes penitenciários que estavam como reféns. Na rebelião, um dos cães utilizados para a revista foi morto pelos detentos. Os agentes sofreram ameaças dos presos que estavam munidos de armas feitas por eles com pedaços de ferro, madeira e plástico. A rebelião aconteceu na Ala D do presídio, e quase se estendeu para as outras três, porém, foi neutralizada pela polícia.

O complexo registrou episódio semelhante em 2012, quando 420 detentos mantiveram 120 reféns. Na época, o Comando da PM atribuiu a rebelião a uma ação do Primeiro Comando da Capital (PCC), direto de São Paulo.

A Reviver é a mesma empresa que administra o presídio do Agreste, no interior de Alagoas, e inaugurado este ano. A OAB apura casos de tortura e maus tratos na cadeia alagoana, incluindo as condições da comida e oito minutos de banho em toda a unidade, por dia. O presídio fida em uma região intermediária entre o Agreste e o Sertão, onde a temperatura é acima os 30 graus. No complexo penitenciário sergipano, os agentes (na rebelião de 2012) também acusavam os agentes de maus tratos. Agência O Globo - Foto: Reprodução

Ônibus tomba em rodovia e deixa mortos e feridos no Ceará

Um ônibus da Viação Princesa tombou neste domingo, 18, na Rodovia BR-020, no município de Canindé (CE), e 25 pessoas morreram. O veículo saiu de Boa Viagem (CE), às 7h, com destino a Fortaleza (CE) com 46 passageiros a bordo.

O acidente foi comunicado à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança do Ceará às 8h20. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o motorista relatou que uma moto, que trafegava na frente do ônibus, freou bruscamente e ele acabou perdendo o controle da direção.

Alguns pacientes foram atendidos em Canindé e aqueles em estado grave foram transferidos para Fortaleza. Segundo o hospital Instituto Doutor José Frota, da capital, os 11 pacientes atendidos na unidade necessitaram de intervenção cirúrgica, sendo alguns pacientes, de alta complexidade.

A Polícia Rodoviária Federal do Ceará informou que o acidente aconteceu no triângulo que dá acesso ao Centro da cidade. A linha do ônibus é Boa Viagem/Fortaleza e segundo o motorista 41 pessoas estavam dentro do ônibus. Sendo 39 passageiros pagantes, um funcionário e o motorista.

Feridos do acidente chegam no IJF

Equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) estiveram no local. O veículo já foi desvirado. Segundo a PRF-CE, há uma faixa da BR-020 interditada, mas o trânsito na região está fluindo, apesar do grande número de curiosos.

Em nota, a empresa Princesa dos Inhamuns lamentou o acidente r afirmou que " continua tomando todas as providências necessárias para o atendimento aos passageiros e aos familiares concedendo-lhes total apoio". A empresa não divulgou o número e a lista de passageiros do ônibus.

No início da tarde, o prefeito de Canindé, Francisco Celso Crisóstomo Secundino, publicou uma nota de pesar pelo grave acidente. Na nota, ele afirma que a prefeitura disponibilizou imediatamente todo o aparato necessário, incluindo ambulâncias  e equipe médica, além de agentes da Guarda Municipal para garantirem a segurança no local. O prefeito também agradece a ajuda de voluntários durante o resgate. * Com informações de Globo News e G1 - Fotos: Reprodução/Canindé Notícias e TV Verdes Mares

Um dos fortes nomes da Policia Militar do Estado da Bahia e responsável pela segurança de bairros cuja violência costuma apontar altas estatísticas, o Major Estrela, comandante da 23ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) pediu exoneração do cargo.

A notícia anunciada na Rádio Sociedade, na manhã deste sábado (17), teve sua explicação detalhada em conversa do oficial com o site Bocão News. "Um dos motivos é que fiquei revoltado com a prisão de Prisco. Sei que é uma ordem judicial e respeito, mas é desumano a forma como ele está sendo tratado. Pedi sim exoneração porque quero ficar livre para desabafar e não me sinto bem na condição de comanadante em fazer isso. Estou revoltado", revelou, afirmando haver outros motivos que o levaram a abrir mão do cargo do qual lhe cabe as responsabilidades sobre as localidades de Suvaco da Cobra, Buracão, além dos bairros de Tancredo Neves, Cabula e Arenoso.  "Os outros motivos conferem com minhas declarações que venho dando na imprensa. Sou contra a impunidade e sou a favor que a constituição mude para permitir pena de morte para bandido rico e politico ladrão. Sou contra pena de morte para bandido pobre", disparou.

Para Major Estrela, a corrupção é um crime coletivo e por isso tem que ser combatida de forma severa. "Esses calhordas não têm mais salvação não. Saindo do cargo fico à vontade para falar e desabafar porque tenho uma revolta muito grande. O problema hoje é a impunidade e não a falta de segurança", afirmou.
 
Segundo o oficial, a decisão de deixar o cargo já foi comunicada ao comando geral que "não deixou eu sair e pediu que eu permanecesse. Mas, eu disse que meu pedido é irretratável. Até me ofereceram o comando de uma especializada, mas ainda estou pensando porque não me prendo a cargo", reforçou.
 
Sempre chamando a atenção para a situação de Prisco, o major, que é formado em direito, disse estar acompanhando o caso e acredita que "quem tem que ficar preso daquele jeito é bandido de alta periculosodade. Sou contra a prisão de Prisco, sempre fui e estou revoltado com isso", concluiu.
 
Situação de Prico
 
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu na tarde da última sexta-feira, 16, ao Supremo Tribunal Federal (STF), que o vereador Marco Prisco, que liderou o movimento grevista da Polícia Militar da Bahia, seja transferido para o presídio federal em Porto Velho (RO). O pedido será analisado pelo ministro Ricardo Lewandowski, relator do habeas corpus no qual o vereador pede prisão domiciliar.
 
O pedido do procurador foi feito após o resultado de um relatório médico, divulgado na quinta-feira, 15. A junta médica, formada por dois servidores do Supremo, concluiu que Marco Prisco “não apresenta, no momento, evidência de cardiopatia que exija tratamento hospitalar ou domiciliar. Bocão News

Mais sete pessoas que foram presas durante a Operação 13 de Maio, que investiga o desvio de verbas públicas que já supera o valor de R$ 70 milhões, serão soltas neste domingo (18). Entre eles, estão dois prefeitos: José Idelfonso Borges do Santos, de Fátima, e Clegivaldo Santa Rosa, de Sítio do Quinto, ambos do PDT. Ontem, 18 detidas no primeiro dia da operação foram liberadas.
 
Ao todo, a operação pretendia cumprir 29 mandados, mas conseguiu localizar 26. Ela foi realizada em 26 municípios do estado, além de Aracaju (SE) e Brasília (DF). Do total dos mandados de prisão emitidos, dois são para prefeitos, quatro ex-prefeitos, quatro vereadores, seis secretários ou ex-secretários, além de diversos servidores públicos. Pelo menos 90 laudos periciais foram emitidos. *Com informações do G1 - Foto: Reprodução/TV Bahia

Cafe beira rio
Abreu